Seguidores Vip

SEGUIDORES VIP

quinta-feira, 9 de julho de 2015

TECNOLOGIA Isopor, zíper? O verdadeiro nome de 15 produtos que você usa sempre


 
Enviado por Guta Batalha



Você chega em casa e tudo o que tem para comer é Miojo. Sorte sua que sobrou um pouco de Catupiry para dar uma incrementada. Tudo isto te deu uma saudade da comida da sua mãe, e você resolveu fazer um mingau de Maizena para relembrar os velhos tempos. Só que seu talento na cozinha é tão limitado que você conseguiu se cortar fazendo Miojo e procurou por um Band-Aid  que talvez estivesse perdido pela casa.
Mas o que esta história sem graça do cotidiano tem de interessante? Todos os produtos consumidos pelo protagonista são, na verdade, nomes de marcas. Do Miojo ao Banda-Aid, nenhum destes nomes são os nomes reais desses produtos.
Veja os nomes verdadeiros nomes de 15 produtos que você consome diariamente.
Band-Aid

Impossível alguém pedir por curativos adesivos quando se machuca. A história do Band-Aid começou em 1920 e a grande responsável pela invenção foi Josephine Dickson, uma dona de casa que vivia machucando sua mão ao fazer as inúmeras tarefas domésticas. Quando seu marido, Earl Dickson, chegava em casa, tinha que fazer pequenos curativos para a mulher e isso não era nada prático. Até que um dia, Earl resolveu deixar prontos vários curativos feitos de esparadrapo e creolina para que Josephine pudesse usá-los quando precisasse. Earl trabalhava na Johnson & Johnson e mostrou sua invenção para seu chefe. Em 1921, o Band-Aid já estava à venda nos EUA.
Durex

Lembra-se dos quadros dos programas infantis que ensinavam a fazer experiências? A apresentadora sempre se referia ao Durex como fita adesiva. A marca Durex pertence à empresa 3M, que chegou ao Brasil com este nome. O sucesso da fita adesiva era tanto que os funcionários chamavam a empresa de Durequinho. Recentemente, chegou ao Brasil a marca de preservativos Durex que nada tem a ver com a 3M. A marca até enfrentou problemas para se estabelecer aqui.

Catupiry

Como pedir uma pizza de frango com Catupiry sem se referir à marca? Pois é, o catupiry nada mais é que um tipo de requeijão cremoso cujo nome original é Requeijão Catupiry. A empresa Catupiry foi fundando em 1911 por um italiano, o nome Catupiry em tupi-guarani significa excelente.

Gilette

Talvez alguns homens saibam que eles não fazem a barba com Gilette e sim com lâmina de barbear descartável.

Maizena

O famoso amido de milho dos programas de culinária. Se você já ficou na dúvida de qual ingrediente seria o amido de milho, já que ninguém usa esse nome, ele é nada mais que a Maizena. Ou melhor, a Maizena nada mais é que amido de milho. Antigamente, a marca também era famosa por seus livros de receitas.

Velcro

Pode confessar, por essa você não esperava. A marca é tão popular e onipresente que simplesmente não existe outro nome para chamar esse tipo de produto. O Velcro é um tecido cheio de micro ganchos com outro tecido cheio de laços para que um possa se aderir ao outro. Depois de voltar de um dia de caça com seu cão, o engenheiro Georges de Mestrel percebeu que os dois estavam cobertos de sementes de barbada, que causam irritação e são grudentas, difíceis de retirar. Depois deste episódio irritante e de sete anos de pesquisa, Georges inventou o velcro na década de 40. Mas o produto só fez sucesso em 1967, quando a Nasa usou o velcro para manter os objetos sempre à mão dos astronautas na missão Apollo 1.
Chiclete

Se formos extremamente criteriosos, chiclete, teoricamente, não é marca e sim Chiclets. Chiclete é uma versão aportuguesada da marca que pertence à empresa ADAMS, o Chiclets é uma goma de mascar, que embora exista desde 1848, só bombou no mercado no século 20 quando Frank H. Fleer resolveu cobri-las com um confeito feito de amêndoas, deixando-as muito mais saborosas.
Isopor

Este material não ficou conhecido como Isopor, marca brasileira, à toa. O nome original do produto é poliestireno expansivo!
Cotonete

Tudo mundo sabe que não deve, mas limpa os ouvido com as hastes flexíveis que ficaram popularmente conhecidas como cotonete. A marca foi introduzida no Brasil em 1965 e o Cotonete virou sinônimo das hastes flexíveis de plástico (que inicialmente eram de madeira). Nos Estados Unidos aconteceu a mesma coisa, lá o produto ficou conhecido como Q-Tips.
Miojo

Consumido por nove entre 10 jovens que moram sozinhos, o Miojo é o macarrão instantâneo da Nissin, outras marcas também têm a sua versão de macarrão japonês. O  Miojo (lamen no Japão) é considerado uma das maiores invenções japonesas do pós-guerra, e de todos os tempos.
Jipe

Jeep é uma marca dos chamados veículos “off-road”, criados durante a Segunda Guerra Mundial para fins militares. No Brasil, a marca é tão forte que o nome, aportuguesado, está no dicionário: jipe.
Tênis

Por essa ninguém esperava. O tênis era uma marca que pertencia a São Paulo Alpargatas, mas a empresa perdeu o direito à patente e hoje o tênis virou o nome oficial desse tipo de calçado.
Nutella
Um dos doces mais amados da atualidade, não importa a marca, você sempre vai se referir a ele como Nutella, embora o nome dessa maravilha seja creme de chocolate com avelãs. O creme foi criado no pós-guerra pelo confeiteiro italiano Pietro Ferrero (lembrou dos bombons Ferrero Rocher?). Devido à escassez de cacau, ele resolveu misturar avelãs, que eram abundantes na região de Piemontesa, ao chocolate. O produto foi chamado na época de “Supercrema Gianduja”.
Xerox

O nome popular da fotocópia. A impossível não associar a fotocópia ao nome da marca norte-americana. Agora você já parou para pensar com as pessoas faziam para tirar cópias antes do Xerox? Pois é, foi isso que fez esse produto ser inventado.

Essa deixou todo mundo de queixo caído. O nome certo para a invenção que facilitou a vida de quem tinha que abotoar milhares botões é “fecho éclair”. Mas, na verdade, o primeiro formato tinha ganchos e argolas para ser fechado. O zíper como o conhecemos, com dentes que se engancham, foi criado por Gideon Sundback, apenas em 1912, mas só ganhou este nome em 1923 por um funcionário da empresa norte-americana B.F. Goodrich.


Postar um comentário

NA ESTRADA DA VIDA

Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém...
Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim...
E ter paciência para que a vida faça o resto...

FRAM MARQUES

Minha foto

MINHA PÁGINA:

MEU GRUPO: 

MEU SITE:

SIMPLES ASSIM...

HOJE APRENDI QUE VIVER É SER LIVRE, QUE TER AMIGOS É NECESSÁRIO, APRENDI QUE O TEMPO CURA, QUE LUTAR É MANTER-SE VIVO, QUE DECEPÇÃO NÃO MATA, QUE HOJE É REFLEXO DO ONTEM, QUE VERDADEIROS AMIGOS PERMANECEM QUE A DOR FORTALECE, QUE A BELEZA NÃO ESTA NO QUE TEMOS, MAS SIM NO QUE SENTIMOS! , E QUE O SEGREDO DA VIDA É VIVER,

LUTE, SONHE, PERDOE, CONQUISTE CADA SEGUNDO, POIS,
NA VIDA NÃO HÁ RETORNOS:
SÓ RECORDAÇÃO.

SE ALGUM DIA ALGUÉM LHE DISSER QUE SEU TRABALHO NÃO É DE UM PROFISSIONAL, LEMBRE-SE:
AMADORES CONSTRUÍRAM A ARCA DE NOÉ E PROFISSIONAIS CONSTRUÍRAM O TITANIC.
PORTANTO, ANTES DE RECLAMAR, LEMBRE-SE, NÃO SOU PERFEITO, MAS PROCURO A PERFEIÇÃO.




FRAM MARQUES

AS MAIS COMPARTILHADAS NA REDE

AS MAIS LIDAS DA SEMANA