Gilvan Maq-Peças

Gilvan Maq-Peças
Tobias Barreto - Sergipe

TOCA DO ÍNDIO

TOCA DO ÍNDIO
DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

O Brasil está passando por um momento de transformação no tocante a corrupção, mas ao que parece, essa transformação parece estar longe de Sergipe.



CASO DAS SUBVENÇÕES

A procuradora regional eleitoral Eunice Dantas taxou como absurda abusiva a decisão da maioria dos Ministros do Tribunal Superior Eleitoral em extinguir o polêmico processo das subvenções sociais da Assembleia Legislativa de Sergipe, livrando da punição 22 políticos de Sergipe que teriam praticado o ato de corrupção.

A procuradora na época disse que iria recorrer, mas até o momento nada foi feito e vários desses deputados, foram reeleitos e poderão ficar impunes em um país onde a corrupção compensa.

THALYSSON E DINÁ ALMEIDA

Uma ação do Ministério Público Eleitoral por abuso de poder político e econômico foi movida contra a deputada eleita. Diná teria se beneficiado de ações populares da prefeitura de Tobias Barreto, gerida pelo seu marido, Diógenes Almeida. Outro procedimento que investiga suposto crime de financiamento irregular, na campanha da deputada.

Resultado, Diná empossada. Ministério Público e Eunice Dantas de braços cruzados.
Já no caso de Thalysson de Valmir, o caso é ainda mais grave.
O Pleno do Tribunal do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe havia cassado a diplomação do filho de Valmir, onde foram mostradas fotos da participação de Thalysson, em ato político, logo depois da inauguração de uma obra por parte do pai de Thalysson e os crimes eleitorais não ficaram por aí.
Thalysson também é acusado de compra de votos, com a participação de seu pai, onde foram feitas denúncias e mostradas provas através de vídeos e imagens de Valmir na época da campanha entregando supostamente dinheiro a eleitores.
Resultado, Thalysson empossado. Ministério Público e Eunice Dantas de braços cruzados.
DIPLOMADO EM PRESIDIO
Outro caso que prova que o crime compensa é o do Valdevan Noventa. O deputado federal eleito, está preso, porem foi diplomado dentro do presidio e os sergipanos temem que Valdevan seja empossado com algemas em Brasília.
EUNICE DANTAS E MINISTÉRIO PÚBLICO
O Brasil está passando por um momento de transformação no tocante a corrupção, mas ao que parece, essa transformação parece estar longe de Sergipe.
Perderam no caso das subvenções, resultado: Muitos deputados envolvidos foram reeleitos e diplomados, fatalmente passarão 4 anos “sambando” na cara da justiça.
Milhões em reais desviados no caso das subvenções e também com compra de votos, porem todo esforço da procuradora e do Ministério Público de nada vale, se é em Brasília que tudo se “dá um jeitinho”.
Os melhores advogados são contratados a peso de ouro e há quem diga que muitos prefeitos se juntam numa espécie de vaquinha para contratar esses advogados.
Sergipe não é uma ilha para ser diferente do que vem acontecendo no Brasil, que a Lava Jato chegue e dê conta, porque se depender apenas das forças da Procuradora e do MP, os crimes do colarinho branco continuará compensando.

Jornal de Sergipe


Nenhum comentário:

NA ESTRADA DA VIDA

Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém...
Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim...
E ter paciência para que a vida faça o resto...

AS MAIS COMPARTILHADAS NA REDE

AS MAIS LIDAS DA SEMANA