Seguidores Vip

SEGUIDORES VIP

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Richarlyson e o preconceito no futebol: Vereador faz comentário polêmico sobre Richarlyson

Resultado de imagem para Richarlyson e o preconceito no futebol



Miro Palma (miro.palma@redebahia.com.br)


A quem interessa saber com quem um jogador de futebol se relaciona? Ao clube em que ele estiver atuando, aos colegas jogadores ou aos torcedores? A nenhum deles, não é? Afinal, a vida pessoal do jogador interessa somente a ele. Simples assim. Mas, tem muita gente com um déficit de entendimento quando o assunto é sexualidade, principalmente se for de um atleta do futebol.
E se tem alguém que sabe muito bem disso é Richarlyson. O seu currículo é de dar inveja a muito esportista: em 2003, conquistou a Copa São Paulo de Futebol Júnior com o Santo André; um ano antes, em 2002, levantou o caneco do Campeonato Paulista com o Ituano; em 2005, foi campeão mundial com o São Paulo, e nos três anos seguintes foi campeão brasileiro também com o tricolor paulista; em 2012 e 2013, foi campeão mineiro com o Atlético e, em 2013, ainda venceu a Libertadores da América com o Galo.
Só que quando o nome dele surge nas manchetes, na maioria das vezes, está acompanhado de alguma polêmica sobre a sua sexualidade. A última notícia foi sobre a sua chegada ao Guarani para disputar a Série B do Campeonato Brasileiro, na semana passada. Antes do anúncio oficial, o Estádio Brinco de Ouro da Princesa foi alvo de, ao menos, cinco bombas atiradas por dois homens em uma moto. Nas redes sociais, a recepção ao jogador não foi muito diferente. Além das típicas piadas homofóbicas, o vereador campineiro, Jorge Schneider (PTB), que torce para a Ponte Preta, ironizou a contratação dizendo que o atleta era “a pessoa certa no lugar certo”. Lamentável.
E isso não é novidade, infelizmente. Em sua carreira, Richarlyson teve que enfrentar atitudes como essa por diversas vezes. Foi chamado de “bicha” por torcedores do Cruzeiro enquanto disputava um jogo pelo Atlético em 2013 e, no mesmo ano, viu um desabafo feito em campo após ganhar a Libertadores, em que disse: “Tive que engolir muita coisa”, ganhar mais destaque que o seu feito na imprensa e ser transformado em piada na internet. No tempo em que esteve no São Paulo, viu a torcida se recusar a falar o seu nome quando cantava a escalação do time.
Ele já teve sua sexualidade questionada inúmeras vezes. Até o diretor do Palmeiras José Cyrillo Júnior se sentiu no direito de insinuar que ele era gay durante uma entrevista em 2007. E, depois de processá-lo por calúnia, Richarlyson ainda teve que ver o juiz Manoel Maximiano Junqueira Filho, da 9ª Vara Criminal de São Paulo, que julgou o caso, sentenciar que o “futebol é jogo viril, varonil, não homossexual”. Como é frágil a masculinidade de certos homens que só têm a virilidade como suporte, não é?
A carreira do jogador, apesar de recheada de títulos, não é nem um pouco fácil. Talvez por isso tenha cogitado a aposentadoria em 2014. Mas, ele segue para mais um desafio. Disposto a, mais uma vez, calar os seus críticos, Richarlyson só pede respeito. “O país só tá em guerra porque o ser humano não sabe respeitar. Você não é obrigado a aceitar, mas tem que respeitar”, disse ontem em entrevista ao Esporte Interativo.
Digo mais, Richarlyson, o futebol, dentre tantos setores da nossa sociedade, é um dos que mais precisam encontrar esse respeito. Respeito às diversidades étnicas, sexuais e de gênero. E, principalmente, respeito à privacidade. Afinal, você não precisa assumir nada porque não nos diz respeito com quem você se deita.

CORREIO DA BAHIA


Uma das manifestações mais comentadas foi a do vereador pontepretano Jorge Schneider

Reprodução

Uma das manifestações mais comentadas foi a do vereador pontepretano Jorge Schneider
O anúncio da contratação do volante e lateral-esquerdo Richarlyson como reforço do Guarani para a disputa da Série B provocou uma onda de comentários preconceituosos em Campinas e causou alvoroço nas redes sociais. Os comentários questionam a orientação sexual do jogador. No Facebook, Twitter e Instagram era fácil encontrar declarações homofóbicas e provocativas. Porém, as manifestações ultrapassaram a barreira do virtual e se materializaram em formato de duas bombas jogadas no estacionamento do Brinco no momento em que o atleta era apresentado oficialmente.
Informações apontam que dois homens vestindo camisetas de uma torcida organizada passaram de moto pela Avenida Imperatriz Dona Tereza Cristina e arremessaram dois artefatos que explodiram perto da parte social. Ninguém ficou ferido. A Polícia Militar foi chamada. Até o fechamento dessa edição ninguém havia sido identificado como autor da ação.
Uma das manifestações mais comentadas foi a do vereador pontepretano Jorge Schneider. Com a frase “a pessoa certa no lugar certo”, ele acabou sendo bombardeado com e-mails de pessoas que consideraram homofóbica ou preconceituosa a colocação. Questionado sobre sua publicação, ele disse que os internautas entenderam errado. “Richarlyson é um baita jogador. A torcida está brava entre ela mesma com a contratação. Ele é um jogador diferenciado.”
Apresentação do Jogador Richarlyson no Guarani F.C.
Perguntado se ele aprovaria a contratação do atleta em seu clube de coração, Schneider disse que respeitaria a decisão da diretoria e que não via problema. “Não vou apagar a publicação porque se eu fizer isso irá parecer que houve algo de errado. Saiba que recebi um monte de provocação quando a Ponte perdeu o Paulistão. Fui marcado em milhares de posts e recebi imagens com os dizeres ‘nunca serão’. E sempre revido com dizendo que eles estão falidos. Até aí sem problema, faz parte da provocação entre torcidas. Mas de jeito nenhum fui homofóbico ou tive qualquer má intenção”, explica.
Para o presidente do Guarani, Horley Senna, a manifestação de parte da torcida é normal e, até certo ponto, esperada. Ele ressaltou que a contratação foi feita baseada no pedido do técnico Vadão e que não levou em consideração a vida pessoal do atleta. “O que interessa é o desempenho dele dentro de campo. Ele está em evidência porque tem uma carreira vitoriosa, mas será tratado como um outro jogador se não apresentar bom trabalho.”
“Acredito que a maior parte da torcida apoia e entende a necessidade de um jogador como o Richarlyson. Não tenho Facebook, mas sei que há aqueles que criticam ou não entendem. Não acho que dois indivíduos que jogaram essas bombas representem algo”, explicou Senna.
Senna disse que o departamento jurídico do Guarani irá registrar o boletim de ocorrência nesta terça-feira no 10º Distrito Policial. Ele disse que uma imagem feita pelas câmeras de segurança do clube pode auxiliar na identificação.
Logo Correio Popular
Postar um comentário

NA ESTRADA DA VIDA

Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém...
Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim...
E ter paciência para que a vida faça o resto...

FRAM MARQUES

Minha foto

MINHA PÁGINA:

MEU GRUPO: 

MEU SITE:

SIMPLES ASSIM...

HOJE APRENDI QUE VIVER É SER LIVRE, QUE TER AMIGOS É NECESSÁRIO, APRENDI QUE O TEMPO CURA, QUE LUTAR É MANTER-SE VIVO, QUE DECEPÇÃO NÃO MATA, QUE HOJE É REFLEXO DO ONTEM, QUE VERDADEIROS AMIGOS PERMANECEM QUE A DOR FORTALECE, QUE A BELEZA NÃO ESTA NO QUE TEMOS, MAS SIM NO QUE SENTIMOS! , E QUE O SEGREDO DA VIDA É VIVER,

LUTE, SONHE, PERDOE, CONQUISTE CADA SEGUNDO, POIS,
NA VIDA NÃO HÁ RETORNOS:
SÓ RECORDAÇÃO.

SE ALGUM DIA ALGUÉM LHE DISSER QUE SEU TRABALHO NÃO É DE UM PROFISSIONAL, LEMBRE-SE:
AMADORES CONSTRUÍRAM A ARCA DE NOÉ E PROFISSIONAIS CONSTRUÍRAM O TITANIC.
PORTANTO, ANTES DE RECLAMAR, LEMBRE-SE, NÃO SOU PERFEITO, MAS PROCURO A PERFEIÇÃO.




FRAM MARQUES

AS MAIS COMPARTILHADAS NA REDE

AS MAIS LIDAS DA SEMANA