Gilvan Maq-Peças

Gilvan Maq-Peças
Tobias Barreto - Sergipe

TOCA DO ÍNDIO

TOCA DO ÍNDIO
DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS

domingo, 28 de agosto de 2011

"Imaginação é mais importante que inteligência"..."Quem gosta de miséria é intelectual".



"O gênio fala muitas vezes mal e não sabe gramática. Mas transporta
montanhas, constrói cidades, estabelece estradas de ferro e telégrafos.
Muitos homens cultos falam e escrevem muito bem, mas são incapazes
de construir e criar".



"O homem sensato se adapta ao mundo; o insensato insiste em
adaptar o mundo a ele. Todo o progresso depende, portanto,
do homem insensato." 



"Não é o poder que corrompe o homem. O homem é que
corrompe o poder"..





"Aprender com a experiência dos outros é menos penoso
do que aprender com a própria". 



"A ausência da evidência não significa evidência da ausência". 


"Há dois tipos de pessoas: As que fazem as coisas, e as que dizem que
fizeram as coisas. Tente ficar no primeiro tipo. Há menos competição". 



"Nos processos de seleção, as empresas descartam os criativos e
ficam com pessoas sem imaginação. Depois as mandam fazer cursos
de criatividade". 



"A fábrica do futuro terá apenas dois operários: Um homem e um
cachorro. Função do homem: alimentar o cachorro. Funcão do
cachorro: não deixar o homem tocar nas máquinas". 



"Um quadro só sobrevive, graças aquele que o olha". 


"Quando eu disse ao caroço de laranja, que dentro dele dormia um
laranjal inteirinho, ele me olhou estupidamente incrédulo". 



"Pessoas oprimidas não podem permanecer oprimidas para sempre". 


"O mundo não está ameaçado pelas pessoas más, mas sim por
aquelas que permitem a maldade". 



"É melhor vencermos a nós mesmos, do que ao mundo". 


"A sabedoria não nos é dada. É preciso descobri-la por nós mesmos,
depois de uma viagem que ninguém nos pode poupar ou fazer por nós". 



"Você pode enganar algumas pessoas todo o tempo. Você pode
também enganar todas as pessoas algum tempo. Mas você não
pode enganar todas as pessoas todo o tempo". 




O mundo gira em torno de você mulher



Mulher, mulher, mulher
O mundo gira em torno de você mulher

Mulher, mulher, mulher
É Violeta, Margarida e Salomé

É a flor mais bela da natureza
Causadora do vacilo de Adão
Tão sabida, que dominou sanção
Ao cortar sua longa cabeleira
Foi Maria bonita pioneira,
Guerrilheira, mulher pelo sertão

Mulher, mulher, mulher
O mundo gira em torno de você mulher

Mulher, mulher, mulher
É Violeta, Margarida e Salomé

É bichinho complicado com certeza
Calendário natural do mau humor
Avisando que aquele dia chegou
Renovando sua fertilidade
Traz do ventre a maior felicidade
Que é ser mãe como manda o criador

Mulher, mulher, mulher
O mundo gira em torno de você mulher

Mulher, mulher, mulher
É Violeta, Margarida e Salomé

Até hoje o homem não reconhece
Mesmo assim a mulher não disamina
Sua força e coragem nos ensinam
Que o mundo esta em suas mãos
Pra você eu dedico esta canção
Que eis mãe, eis mulher e eis menina




LEMBRE DO QUE EU DISSE ANTES.

Amar é sofrer...Você é a página mais linda que o destino escreveu na minha vida. Vivo sonhando com você, mas não adianta sonhar, seu coração já tem dono pra mim não há lugar! Você diz que me ama, Mas você nunca me amou, o amor nasce do beijo e você nunca me beijou.





LEMBRE DO QUE EU DISSE ANTES.
Olho pro passado, vejo você do meu lado
Só você, me fez tão feliz
Meus olhos vermelhos se refletem no espelho
Eu chorei sem você

Não sei se vou suportar
Ficar sozinha aqui
Eu quero ter você pra me amar
Como posso te deixar

Meu amor
Veja só como eu te amo(meu amor)
Viver sem você não dá(meu amor)
Nem que seja por mil anos(meu amor)
Sempre vou te esperar

Há um vazio no peito
É saudade não tem jeito de evitar
Venha me salvar
Lembro seu sorriso
É você que eu preciso pra viver
Pra viver

Não sei se vou suportar
Ficar tão sozinha aqui
Eu quero ter você pra me amar
Como posso te deixar

Meu amor
Veja só como eu te amo(meu amor)
Viver sem você não dá(meu amor)
Nem que seja por mil anos(meu amor)
Sempre vou te esperar

Lembre do que eu disse antes
Sempre estarei aqui
Mesmo estando tão distante
Meu coração chama por ti

Meu Amor...



sábado, 27 de agosto de 2011

Causos Nordestinos - O Beijo que engravidou




Causos, nascem à beira do fogão a lenha. De preferência com a chapa cheio de pinhão.


CAUSOS E CONTOS


Quem nasceu e até quem não nasceu entre as décadas de 40 e 50 em uma dessas longínquas cidadezinhas do interior do Brasil, sabe do rumo da prosa. Os personagens, na maioria das vezes são reais. Eles fazem parte do folclore da cidade, ali nasceram se criaram e foram os precursores dos causos. Por serem exclusivamente engraçados, os causos, permanecem na memória da comunidade e em qualquer reunião trivial são novamente narrados, provocando o riso descontraído. Eles contém uma singularidade marcante. Trazem os costumes e o sotaque peculiar do homem interiorano muito diferente conforme a região do país. Quem não reconhece pela fala um nordestino ou um gaúcho?
Assim, os causos formaram um universo de pequenas narrações que sempre ajudaram a manter o bom humor de um grupo enquanto reunido, com objetivo de descontrair. Ou para dissipar o stress e “soltar as bolinhas” da tensão do dia a dia, como dizem por aqui.
Na ocasião, alguém resolve tornar esses causos mais longos e mais interessantes, dando-lhes o status de conto. Adicionando ingredientes como fatalidade e tristeza, e eles  passam a compor a vasta modalidade de Literatura consagrada nos confins do Brasil.
Depois de passar pela música, pelo humor, causos consagrados por grandes artistas como Rolando Boldrin e Chico Anísio, com o famigerado "Pantaleão", chega com toda sua magia também aos Blogs.
É o caso do Tabuí e seus causos, escrito com maestria e talento por Eurico de Andrade. O profissional que labuta em uma das mais nobres atividades, a Agricultura, resolve assumir em definitivo uma das suas virtudes, e tornando-se blogueiro, reescreve causos disseminados pela sabedoria popular, transformando muitos deles em contos muito bem escritos. Cuja coletânea muito em breve pretende transformar em livro.
Para confirmar o que eu digo, transcrevo um dos seus “causos” postado em seu Blog:
Raimundo Barbeiro entra na agulha.
     Chegou dia de Raimundo Barbeiro tomar a vacina contra a gripe, à qual o povo dava o nome de vacina dos véio. Bem magrilim, foi animadim procurar a esposa, pensando em dar uma bisoiada na enfermeira loira do hospital.    
     – Muié, cadê minha cardeneta?
     – Tá na gaveta embadapia, home!
     Raimundo tinha as coisas em ordem. Na caderneta, as anotações com relação à sua saúde, da qual cuidava com todo o esmero. Na fila do arremedo de hospital que havia em Tabuí, nosso herói era amigo de quase todo mundo e batia papo com um e com outro enquanto esperava sua vez de entrar na agulha. Entrega sua caderneta pra uma moreninha de branco e fica de butuca esperando ela chamar seu nome. Niqui chega a hora, a moça olha pra ele com o rabo do olho e, parecendo assustada, comenta alguma coisa com a colega loira – a paixão do Raimundo. Olha pra ele de novo e faz um gesto de dúvida. Até que pergunta:
     – Foi aqui memo que o sinhô tomô a úrtima vacina?
     A pergunta aziou o Raimundo Barbeiro. Já tão creno que tô caduco! Isso é o que dá, botá aqui essas moça que nem sabe lê direito, pensou ele.
     – É craro que foi, uai! Causdiquê só vacino aqui, ô sá!
     – Como é memo o nome do sinhô?
     – É Remundo, muié! – respondeu ele, pronto para apelar.
     – Mas é c’aqui tá iscrito vacina anti-rábica e seu nome num é Sadan Houssein?!!!
     Raimundo baixou a cabeça, sem saber onde colocar a cara, tamanha a vergonha que passou, na frente da turma e vendo a enfermeira loirinha dar uma gargalhada. Só aí é que descobriu que pegara o documento na gaveta errada, a do cachorro. Sua desculpa, com sorriso amarelo, falando baixinho no ouvido da enfermeira moreninha, foi:
     – É a droga da minha muié, uai! Ela só apronta bagunça naquela casa, sô! 
Como disse José Saramago, "se o blog é um espaço para a reflexão, não deve surpreender que ilumine aquele que o escreve". Neste "causo", o Eurico propaga o bom humor, que a meu ver é uma virtude. E como tal deve ser cultivado.
Breve retorno sobre o assunto, falando de outro escritor e seus "causos". Refiro-me ao prezado amigo também blogueiro, Rui Morel, criador do Blog "Aprendendo por aí".

vai dar um trabalho danado!




Tio Benedito andava meio adoentado. Apesar de chás e garrafadas não se via melhora. Acharam por bem levar o homem à benzedeira, mesmo assim ele continuava definhando.
Bom, do jeito que o pobre tio se encontrava, o jeito era levar ao médico.
E o medo que a saúde piorasse? O sujeito não gostava de gastar um tostão!
E o médico custava dinheiro. Deu-se um jeito, arranjaram uma ficha na prefeitura e ele conseguiu ser atendido num posto de saúde.
O certo, é que a coisa era grave e o doente teria que ser removido para a capital. O que foi feito contra sua vontade, mas com o aval da família.
Chegando à Capital constatou-se que ele deveria ser operado. Sem plano de saúde, sem vontade de gastar, e sem poder reagir, mesmo sem querer, foi para sala de cirurgia.
Pois não é que a operação foi um sucesso! Mas como o que é bom dura pouco... Complicações pós operatórias... O operado bateu as botas!
Foram dar a noticia aos filhos: __Sinto muito, o pai de vocês passou dessa para melhor. O filho mais novo respondeu: __ Se ele não tivesse morrido da cirurgia, ia morrer do coração, pois não sobreviveria se soubesse o preço da operação. Há quem afirme que o motivo real do óbito, foi justamente uma conversa que ele ouviu sobre as despesas, com o hospital, quando achavam que ele estava ainda sedado.
Fazer o quê? Era pegar o falecido, levar de volta ao lar, velar, enfim, levá-lo a sua última morada com dignidade, até porque ele não poderia dar seus palpites quanto o desenrolar do velório. Porque se pudesse, garanto que era enterrado numa rede com um pau no meio.
Para falar a verdade, foi um velório e tanto. Farto mesmo! Teve: caldos, biscoitos, café e até sucos, e uma cachacinha que é de praxe. Como todos os velórios, teve também suas lamúrias.
A filha mais velha, na hora da saída do caixão gritou: “Ô PA PAI ZIM DO CÉU, O SENHOR LEVOU A CHAVE DO MEU CORAÇÃO!”E em seguida foram gritos, choros, que comoveu muita gente, muitos até aproveitaram o embalo para chorar junto.
A Consternação foi quebrada quando o irmão mais novo outra vez soltou a língua: --Tomara que ele não tenha levado é a chave do cofre senão... vai dar um trabalho danado!
Que Deus o tenha na Santa paz, tio...

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Das Cancões



Mais do que cantar pra o mundo inteiro
Eu quero cantar primeiro
Só para o seu coração
Mais do que este palco iluminado
Eu quero esse delicado
Contato da sua mão
É você que me fica fazendo
Os mais doces carinhos
Roçando esses dedos macios
Assim nos meus lábios
Fazendo com que eu fique quente
Depois de tão frio
Ah, como eu desejo esses seus
Movimentos tão sábios
Emoção é o lado mais doce de nossa energia
E em mim é você que alimenta esta forma de luz
Você é a mulher que me faz infinito na vida
Estrela que me orienta, ilumina e seduz


Mais do que cantar pra o mundo inteiro
Eu quero cantar primeiro
Só para o seu coração

Achas que devemos ser tolerantes e respeitar todos os costumes das outras culturas?


A morte é o pior coisa que nos pode acontecer?

Bem, o blog está a ficar muito filosófico, mas eu avisei.

Há muito tempo que penso se a morte é uma coisa má. Bem, depois de ler um livro de filosofia (O Dia Em Que Sócrates Vestiu Jeans), encontrei duas respostas diferentes. Eu vou adaptá-las à minha maneira:
    - A primeira dizia que a morte não é a pior coisa que nos pode acontecer. Eu concordo com esta opinião. As consequências da morte são negativas, nisso não tenho dúvidas, mas apenas para os que ficam. Para quem morre, não acontece qualquer mal, porque a morte não é má em si mesma. As suas consequências são más. As causas que levam a que ela suceda são igualmente más e muitas vezes dolorosas. Mas a morte em si não é nada. Como dizia Epicuro «A morte não é nada para nós, pois, quando existimos, não existe a morte, e quando existe a morte, não existimos mais». E esse velho filósofo tinha toda a razão! O que é para nós a morte? Nada! As consequências da morte? Bem, isso já envolve dor, sofrimento e nostalgia, mas a morte em si não envolve nada disso.
    - A outra opinião envolvia Deus. Não me lembro concretamente do que o homem que a apresentava dizia. Apenas me lembro de dizer que quem dá valor à vida não pode gostar da morte. Quem gosta de viver obviamente que não quer morrer. Só evitamos a morte sendo imortais. Mas será que a lendária imortalidade é melhor do que a morte? Eu penso que não. A vida só faz sentido porque à morte, porque é finita. Que valor dariamos nós à vida se não houvesse morte?

Pensem nisso e partilhem as vossas opiniões. A morte é a pior coisa que nos pode acontecer?

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Pai me empresta R$25,00?


 
Um homem chegou em casa tarde do trabalho, cansado, irritado, e encontrou o seu filho de 5 anos esperando por ele na porta.
- "Pai, posso fazer-lhe uma pergunta?" 
- "O que é?" - respondeu o homem. 
- "Pai, quanto você ganha em uma hora?" 
- "Isso não é da sua conta. Porque você esta perguntando uma coisa dessas?", o homem disse agressivo. 
- "Eu só quero saber. Por favor me diga, quanto você ganha em uma hora?" 
- "Se você quer saber, eu ganho R$50 por hora." 
- "Ah..." o menino respondeu, com sua cabeça para baixo. 
- "Pai, pode me emprestar R$ 25,00?" 

O pai estava furioso: "Essa é a única razão pela qual você me perguntou isso? Pensa que é assim que você pode conseguir algum dinheiro para comprar um brinquedo ou algum outro disparate? Vá direto para o seu quarto e vá para a cama. Pense sobre o quanto você está sendo egoísta. Eu não trabalho duramente todos os dias para tais infantilidades."
O menino foi calado para o seu quarto e fechou a porta. 
O homem sentou e começou a ficar ainda mais nervoso sobre as questões do menino. 
- Como ele ousa fazer essas perguntas só para ganhar algum dinheiro? 
Após cerca de uma hora, o homem tinha se acalmado e começou a pensar. 

Talvez houvesse algo que ele realmente precisava comprar com esses R$ 25,00 e ele realmente não pedia dinheiro com muita frequência. O homem foi para a porta do quarto do menino e abriu a porta.
- "Você está dormindo, meu filho?" ele perguntou. 
- "Não pai, estou acordado", respondeu o garoto. 

- "Eu estive pensando, talvez eu tenha sido muito duro com você a pouco?", afirmou o homem. "Tive um longo dia e acabei descarregando em você. Aqui estão os R$ 25 que você me pediu."
O menino se levantou sorrindo. "Oh, obrigado pai!" gritou. Então, colocando a mão debaixo de seu travesseiro, ele puxou alguns trocados amassados.
O homem viu que o menino já tinha algum dinheiro, e começou a se enfurecer novamente.
O menino lentamente contou o seu dinheiro, em seguida olhou para seu pai. 
- "Por que você quer mais dinheiro se você já tinha?" - Gruniu o pai. 
- "Porque eu não tinha o suficiente, mas agora eu tenho", respondeu o menino. 
- "Papai, eu tenho R$ 50 agora. Posso comprar uma hora do seu tempo? Por favor, chegue em casa mais cedo amanhã. Eu gostaria de jantar com você." 
O pai se sentiu destroçado... Ele colocou seus braços em torno de seu filho, e pediu o seu perdão. 


É apenas uma pequena lembrança a todos nós que trabalhamos arduamente na vida. 
Não devemos deixar escorregar através dos nossos dedos o tempo sem ter passado algum desse tempo com aqueles que realmente importam para nós, os que estão perto de nossos corações.
Viva a vida como se nunca tivesse vivido, ame como se nunca fosse morrer.

SAUDADES


 


Os vaqueiros nordestinos são personagens indispensáveis nas fazendas sertanejas, são verdadeiros heróis cuidando da boiada e do afazeres das fazendas, é o amigo do gado, sempre zeloso e carinhoso conhece cada rês pelo mugido ou às vezes até pelo rastro.
Por vezes embrenha-se nas caatingas espinhosas montado no seu querido e inseparável cavalo alazão em busca de um boi fujão que se dispersou do restante da boiada, vai correndo mato adentro no encalço do fugitivo até alcançá-lo com seu laço certeiro, após prendê-lo na corda amarra o bicho no tronco de uma árvore coloca-lhe um chocalho e uma “careta” e assim o animal dominado vai sendo levado por ele até chegar ao curral.
Quando envelhecem vêem-se obrigados a afastar-se de sua luta e muitas vezes são desprezados pelos patrões para quem trabalharam a vida inteira, e terminam seus dias sempre lamentando por não poderem mais cuidar do seu rebanho e ficam a amargar suas agruras longe das fazendas nas periferias das pequenas cidades do interior.
O poema abaixo é dedicado a esses heróis do Sertão!
A HISTÓRIA DE UM VAQUEIRO VELHO!!!
(causo)
Dotô eu fui um vaqueiro
Afamado no sertão
Nunca vi boi mandingueiro
Pra eu num botar no moirão
Eu fazia por capricho
Por grande que fosse o bicho
Podia ser vaca ou touro
Eu dominava o incréu
Honrando assim meu chapéu
E o meu gibão de couro
Na caatinga ou no cerrado
Mato grosso ou capoeira
No meu alazão montado
Quebrava rama e madeira
Passava de qualquer jeito
Levando tudo no peito
Que tivesse no caminho
E assim sem temer nada
Juntava toda boiada
Sem companhia, sozinho
Sem temer qualquer perigo
Eu me embrenhava no mato
Sem ter moleza comigo
Pegava a vaca ou um boiato
Por mais que fosse valente
Nunca vi onça ou serpente
Que me fizesse sobraço
Vencido pela idade
Hoje ainda sinto saudade
Do tempo que eu era moço

Jurema unha-de-gato
Cipó-de-boi macambira
Riacho rio regato
Caipora ou curupira
Nunca me fizeram medo
Quer saber o meu segredo?
Era e sou a Deus temente!
Com fé Nele eu avançava
E nada me assombrava
Nem visagem e nem vivente
Nunca deixei de enfrentar
A vaca braba parida
Mesmo que fosse arriscar
Até minha própria vida
Fazia um estardalhaço
Mas, prendia ela no laço
E com uma manha, um jeitinho
Eu dela me aproximava
E num instante eu colocava
Pra mamar o bezerrinho
Eu que vivi essa vida
Hoje me vejo afastado
Da minha terra querida
E daquela luta do gado
Não posso ter alegria
Pois tudo que eu mais queria
Era vestir meu gibão
Por isso vivo tristonho
Porque o meu maior sonho
É de morrer no sertão
Que o solo sertanejo
Seja meu ultimo abrigo
Esse é meu grande desejo
Porém não sei se consigo
Alcançar essa virtude
Espero que Deus me ajude
Pra que minha ultima casa
Seja nesses carrascais
E lá meus restos mortais
Jazer numa cova rasa



"O tempo não para, somente o acompanho e sigo os seus ensinamentos."


A distância é uma das mais severas lições da vida e é tão contraditória como o tempo. Ao mesmo tempo em que se torna benéfica é maléfica. Pode ser uma diferença de centímetros ou quilômetros sempre será a mesma. Creio que o valor das minhas amizades está aumentando a cada segundo que passa e que o retorno será breve. 

"A saudade imediatamente acompanha a distância e com ela eu choro, lembro e fico feliz. Feliz por ter passado os melhores momentos da minha vida com as melhores pessoas existentes." 


O contador de pulsos do meu coração está parado. Não consigo mais ouvir nenhum som. Somente o meu pensamento. Ainda sinto a minha respiração. É um grande sinal, estou vivo, mas em silêncio. O meu coração se foi, não aguentou tantas decepções, medos e alegrias vazias. Juntamente com ele se vão os meus olhos, pois não conseguem mais ver todas as máscaras que a sociedade possui. Estou de luto, luto do meu próprio eu.

"Ficarei em silêncio com os meus pensamentos, pode-se dizer que é um luto a si mesmo."

O tempo é um dos bens mais preciosos que temos e os seus ponteiros são governados pelo Senhor do tempo, Deus. Sendo assim, devemos cuidar dele pois possui um grandioso valor.

Quer saber quanto vale o tempo?

Pergunte para uma mãe que ganhou um filho prematuro o valor de um mês ou para um diretor de uma revista semanal o valor de uma semana. Pergunte para um pai de família o valor de um dia de trabalho ou para um casal de namorados o valor de uma hora. E por fim pergunte para um corredor de uma maratona o valor de alguns segundos. Assim teremos uma noção sobre o seu valor.

Eu, humildemente sei o valor do tempo, sei o quanto dois meses me fazem falta desde o nascimento, mas não questiono, somente admiro o porque desse adiantamento. O tempo tem o seu valor e espero estar dando o valor certo para as coisas mais belas e simples da vida.


Se todos pudéssemos perceber que tudo na vida pode mudar em um segundo, se todos pudéssemos dizer que o dia está belo mesmo com tempestades e furacões em sua janela e se pudéssemos perceber que na vida até a morte tem solução.

Sou somente um mero escritor de gaveta tentando manter aberto os meus olhos de sonhador, olhos que almejam uma vida mais alegre e não um céu cinza repleto de tristeza. Um escrito que sabe ao menos o seu fim, mas não quero terminar em um livro ou um filme, só quero que ao chegar em minha velhice os meus olhos ainda sejam de um sonhador e que eu possa ter escrito tudo ou quase tudo que senti e sinto e não ter deixado nem ao menos uma lágrima passar. E que eu não me arrependa do que fiz e do que não fiz mesmo isso vindo à tona, porque não existe aquele que nunca se arrependeu de algo.

E no fim, como em um conto de fadas, que muitos dizem não existir um final feliz. Acredito eu que todos merecem um final feliz, mas essa felicidade só chega para aquele que nunca perdeu ou escondeu a esperança de ser feliz.

"Portanto, buscarei fazer com que tudo e todos sejam felizes, pois somente assim receberei a minha felicidade."

E para ti?

Continuo a acreditar no Sonho;
Sonho que é sinónimo de utopia;
Utopia que é sinónimo de perfeição;
Perfeição que é sinónimo de bem-estar;                                                      
Bem-estar que é sinónimo de não magoar;
Não magoar que é sinónimo de respeitar;
Respeitar que é sinonimo de fazer pelos outros...
...o que queres que façam por ti!
E asim de sinónimo em sinónimo...
Encontra-se a Lei Maior...
A Lei do Amor...
Se o que fizeres tem por fim não o Egoismo mas o Amor...então está certo...Está Perfeito...Para mim o Sonho é assim...




E para ti?

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

AMIZADE

Um poema especial recebido de um grande amigo...


Pela amizade que você me devota,
por meus defeitos que você nem nota...

Por meus valores que você aumenta,
por minha fé que você alimenta...

Por esta paz que nós nos transmitimos,
por este pão de amor que repartimos...

Pelo silêncio que diz quase tudo,
por este olhar que me reprova mudo...

Pela pureza dos seus sentimentos,
pela presença em todos os momentos...

Por ser presente, mesmo quando ausente,
por ser feliz quando me vê contente...

Por este olhar que diz:
"Amigo, vá em frente!"

Por ficar triste, quando estou tristonho,
por rir comigo quando estou risonho...

Por repreender-me, quando estou errado,
por meu segredo, sempre bem guardado...

Por seu segredo, que só eu conheço,
e por achar que apenas eu mereço...

Por me apontar pra DEUS a todo o instante,
por esse amor fraterno tão constante...

Por tudo isso e muito mais eu digo:

Deus te abençoe
meu querido amigo

Espero que aproveitem bem o que está aqui...

"Uma coletânea de pensamentos deve ser uma farmácia onde se encontrem remédios para todos os males".


"Liberdade é o espaço que a felicidade precisa..."

"O valor das coisas não está no tempo em que elas duram,
mas na intensidade com que acontecem.
Por isso existem momentos inesquecíveis,
coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis".

A amizade deveria ser algo completamente sem interesses, como nossos olhos. Eles piscam juntos, eles se movem juntos, eles choram juntos, eles vêem coisas juntos e eles dormem juntos, embora eles nunca vejam um ao outro estão sempre juntos..." 


"Lembre-se que o melhor relacionamento é aquele no qual o amor de um pelo outro é maior do que a necessidade que um tem do outro" 
"Permita que eu escute a mim e não aos outros." 


"Podemos escolher o que semear, mas somos obrigados a colher aquilo de plantamos" 
"Se não puder se destacar pelo talento, vença pelo esforço." 
"Você quer ser feliz por um instante? Vingue-se. Você quer ser feliz para sempre? Perdoe."
"Quem olha para fora, sonha; quem olha para dentro, desperta." 
"Cuidado... ao dizer alguma coisa, cuide para que suas palavras não sejam piores que o seu silêncio." 
"Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com freqüência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar."
 

"Leva tempo para alguém ser bem sucedido porque o êxito não é mais do que a recompensa natural pelo tempo gasto em fazer algo direito." 
"Não existe ninguém igual a você. Deus quis você único" 


"Não existe nada tão comovente - nem mesmo atos de amor ou ódio - como a descoberta de que não se está sozinho" 

"Cada um tem um papel único na vida. Todo mundo, especialmente você, é indispensável." 


"É durante as fases de maior adversidade que surgem as grandes oportunidades de se fazer o bem a si mesmo e aos outros". 

"Em tudo que a natureza opera, ela nada faz bruscamente..." 
"Os ventos que as vezes tiram algo que amamos, são os mesmos que trazem algo que aprendemos a amar.. Por isso não devemos chorar pelo que nos foi tirado e sim,
aprender a amar o que nos foi dado. Pois tudo aquilo que é realmente nosso, nunca se vai para sempre." 

Apresentação

"Uma coletânea de pensamentos é uma farmácia moral onde se encontram remédios para todos os males." – Voltaire.






Nada melhor para começar uma coletânea de pensamentos do que um pensamento. O filósofo Voltaire – que é, também, autor de vários dos belos, curiosos e profundos pensamentos presentes neste acervo – está plenamente certo no que diz.

Quantas vezes, enfrentando um problema, às voltas com uma dúvida ou querendo expressar algo e não encontrando as palavras adequadas e nós deparamos com um pensamento que sintetiza tudo aquilo que precisamos naquele exato momento!

Como dizia sempre, nas aulas do Seminário de Teologia, o meu amigo e Professor Dr. Horne Pereira Silva: “Os antigos nos roubaram as melhores idéias!” O sábio Salomão, em outras palavras, dizia o mesmo: “O que foi é o que há de ser; e o que se fez, isso se tornará a fazer; nada há, pois, novo debaixo do Sol” (Eclesiastes 1:9).

Esses pensamentos – os provenientes de pessoas célebres ou desconhecidas – junto com as máximas e provérbios, nos quais Salomão era mestre, constituem um tesouro fantástico de cultura que pertence a todos os povos e a todas as nações em todos os tempos.

Desde que eu me entendo por gente, assim que aprendi a ler na meninice, sou apreciador destas “Pérolas Para a Vida”, como as chama John Blanchard; “Gemas Preciosas”, “Frases Célebres”, “Gotas de Sabedoria” ou “Sabedoria Concentrada”, como as denominam outros escritores, editores e compiladores.
Sendo assim, ao longo de décadas fui anotando em cadernos os pensamentos bonitos que extraía da leitura dos livros e revistas – entre estas a “Revista Adventista”, que publicou durante anos uma pequena seção chamada “Pensamentos” ou “Gemas dos Pensamentos”, e a revista “Seleções Reader’s Digest” – e, também, fui adquirindo todos os bons livros publicados sob a forma de coletâneas de pensamentos.

Além disso, contei, em muitos casos, com a memória para ‘resgatar algumas destas “gemas preciosas” que algum dia, perdido no tempo e nos registros dos caderninhos, eu li em algum lugar; é interessante que isso confirma uma teoria minha: “Um pensamento fora-de-série jamais será esquecido!”

Um exemplo disso é que, quando procurava completar o mínimo de sete pensamentos para cada verbete, e cheguei ao assunto superstição, lembrei-me de um pensamento fantástico de Thomas Carlyle que havia lido e citado para vários colegas de faculdade: “A astrologia está para a Astronomia assim como a superstição está para a Religião: Filha desatinada de uma mãe ajuizada!”

São 3.500 pensamentos selecionados de inúmeras fontes religiosas e seculares. Fora as fontes já citadas, agradeço muito aos autores e editores destes três livros que me serviram de fonte na complementação do material aqui apresentado: “Pérolas Para a Vida”, de John Blanchard, “Os Mais Belos Pensamentos de Todos os Tempos”, de Mansour Challita, e “O Livros das Citações e Frases Célebres”, Celso Barroso Leite.

No desejo de que esta coletânea digital seja uma fonte ágil, gratuita e eficaz para estudiosos, pesquisadores, professores, alunos, oradores, palestrantes, profissionais liberais, curiosos e todos aqueles que, de maneira direta ou indireta, lidam com a palavra, apresento-lhes esta coletânea de pensamentos para que façam bom uso.

Nas palavras de Voltaire, como vimos logo de início, trata-se de uma “farmácia moral”. Se não chegar a tanto, para a maioria dos leitores que a acessarem, espero que ao menos sirva de fonte de cultura, inspiração e, principalmente, guia ou referencial na construção dos nossos relacionamentos, formação do caráter e tomada de algumas decisões importantes da vida.

Se em alguns casos um ou vários destes pensamentos sinalizarem uma direção contrária àquela que você estava tomando, não se apavore! Veja o que diz, a esse respeito, o escritor James Russel Lowell: “Só os tolos e os mortos jamais mudam de opinião”. 

Quando o sol se esconder Vê se você pára pra entender Que eu fui e sempre serei Um bobo apaixonado... Por você

Bobo Apaixonado




Nós estamos separados,
Mas nos prometemos respeito
Você não procura um namorado
E eu farei do mesmo jeito

No fundo, aqui
bem no fundo
Ainda existe amor em nós

Amor estamos chateados
Pedimos tempo como cura
Nessa nossa indecisão
Nesse jogo de quem procura

No fundo, é que bem no fundo
Ainda existe o orgulho em nós


Quando o vidro embaçar
E você vier pra me abraçar
Quando o sol se esconder
Vê se você pára pra entender
Que eu fui e sempre serei
Um bobo apaixonado...
Por você

A nossa história de... dá um tempo
Custou caro e fez doer
Corremos risco de outro alguém aparecer
Mas o amor que a gente sente
Há de prevalecer

Pior de tudo é perceber... Que você vinha dando sinais e eu não vi.

Sinais


Se é pra viver um grande amor,
Sei que é preciso cultivar
Eu já aprendi com o que passou
Que cada detalhe vai somar

Fui desatento, meu amor
Quem ama tem que reparar
Ver em você o que mudou
Isso é preciso mudar
Ouvi seu silêncio de mulher
Ver os sinais que você dá
Discretamente bate o pé, mexe os cabelos sem parar,
Pinta as unhas de café, vive olhando pro nada...

Perdão, amor, se levei tempo demais
Deixei uma porção de coisas pra trás
Errei em só olhar pra mim
Meu bem, nunca te vi assim
Nem só de amor se vive uma relação
Cada detalhe que perdi foi um grão

E quantos grãos deixei cair
Será que já chegou ao fim
Pior de tudo é perceber
Que você vinha dando sinais e eu não vi

domingo, 21 de agosto de 2011

quando cada um faz a sua parte, nós fazemos o todo.

PARA TUDO




Pára tudo
Sou eu que estou tocando no rádio
Quero saber do seu comentário
Me diz se você gostou ou não

Pára tudo
Aumenta o som e curte o momento
Corre, vê se ainda dá tempo
De dividir comigo esta emoção

Esperamos tanto esse dia
Poder mostrar pra sua família
Que o meu sonho é profissão

Como eu queria estar do seu lado
Pra fazer valer o passado
Você vai se ouvir nessa canção

Pára tudo
Coloque o sentimento pra fora
Desculpa eu te ligar esta hora
Mas chora comigo

Pára tudo
Você faz parte dessa história
É o dia da nossa vitória
Chora comigo.

MÚSICA COM LETRA É OUTRA COISA...

Sem Radar


SEM RADAR
É só me recompor
Mas eu não sei quem sou
Me falta um pedaço teu
Preciso me achar
Mas em qualquer lugar estou
Rodando sem direção eu vou...

Morcego sem radar
Voando à procurar
Quem sabe um indício teu
Queimando toda fé
Seja o que Deus quiser
Eu sei!
Que amargo é o mundo sem você....

Você me entorpeceu
E desapareceu
Vou ficando sem ar
O mundo me esqueceu
Meu sol escureceu
Vou ficando sem ar
Esperando você voltar...

É só me recompor
Mas eu não sei quem sou
Me falta um pedaço teu
Queimando toda fé
Seja o que Deus quiser
Eu sei!
Que amargo é o mundo sem você...

Você me entorpeceu
E desapareceu
Vou ficando sem ar
O mundo me esqueceu
Meu sol escureceu
Vou ficando sem ar
Esperando você...

Escrevendo minha própria lei
Desesperadamente eu sei
Tentando aliviar
Tentando não chorar
Por mais que eu tente esquecer
Memórias vem me enlouquecer
Minha sentença é você...

Você me entorpeceu
E desapareceu
Vou ficando sem ar
O mundo me esqueceu
Meu sol escureceu
Vou ficando sem ar
Esperando você voltar
Voltar!...

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Minas Com Bahia



Sacudir estrelas
Despertar desejos
Numa noite fria
Uma noite fria
Uma noite fria
No meio da rua
Lá de longe eu vejo
Minas com Bahia
E o samba ia
Juro que ia
Amanhã é domingo, menina
Ninguém vai te acordar
Deixa chover na esquina
Deixa a vida rolar
Sacudir estrelas
Despertar desejos
Numa noite fria
Uma noite fria
Uma noite fria
No meio da rua
Lá de longe eu vejo
Minas com Bahia
E o samba ia
Juro que ia
Amanhã é domingo, menina
Ninguém vai te acordar
Deixa chover na esquina
Deixa a vida rolar... é!
Burungundum bateu meu tambor
Yeah, yeah, yeah
Quero cuncunca rever meu amor
Uêpa! yê yê!
Ti ri ti tira a esteira daqui
Porque só vim buscar
Sacudir o mundo
Procurar no fundo
O que leva uma dia
Até outro dia
Até outro dia
Uma hora dessas
E você tão só
Eu fiquei com dó
Eu só disse oh!
Eu te quero muito bem
Amanhã é domingo, menina
Ninguém vai te acordar
Deixa chover na esquina
Deixa a vida rolar... é!
Burungundum bateu meu tambor
Yeah, yeah, yeah!
Quero cuncunca rever meu amor
Uêpa! yê yê!
Ti ri ti tira a esteira daqui
Porque só vim buscar
Meu amplificador
Burungundum bateu meu tambor
Yeah, yeah, yeah!
Quero cuncunca rever meu amor
Ti ri ti tira a esteira daqui
Porque só vim buscar
Meu amplificador...
Burungundum bateu meu tambor
Meu tambor
Quero cuncunca rever meu amor
Tirêpa! yê yê!
Ti ri ti tira a esteira daqui
Porque só vim buscar

Pra Desbotar a Saudade



Faço da noite criança
Da estrela esperança
E abajur do luar
Cubro de plumas
Meu peito
Que é como um leito pra te repousar
Busco flores no infinito
Que é bem mais bonito
Lá dentro de mim
Seu coração me acompanha
Em forma de manha
Pra eu te cantar
Quando te toco arrepio
Te vejo dormindo parece que vou flutuar
Quando seus braços me apertam
Sua voz me desperta pra eu te amar
Água nascente das cerras
Que lavam as pedras
Imóveis no chão
Corre entre matos e campos
Riachos e rios, regados e ribeirão
Lava esse peito meu
Pra desbotar a saudade
Apaga seu nome na areia
Sem deixar sinal
Apaga seu nome na areia
Sem deixar sinal

Livro da Vida



Eu não quero que penses querida
Que eu sofro por te querer
A ilusão que foi meu castigo
É a razão do meu padecer
Eu sinto saudade de alguém
Que padece sem merecer
É o sangue do meu próprio sangue
E é a razão de todo o meu ser
Eu não peço que siga os meus passos
Pois o nosso amor terminou
Ficará gravado na mente
O erro que praticou
O mundo é um livro aberto
Pra ensinar quem não sabe viver
E as lições são bem declaradas
E tão fácil de compreender

Marco Brasil


 Caminhos da Vida



Onze anos na estrada, cumprindo minha jornada; com a carreta a

viajar.

Em uma dessas viagens, meu bateu um cansaço, parei num posto

para descansar!

Já era de madrugada quando um anjo me acordou

Me incumbindo de um frete que São Cristóvão determinou

Você vai para Holambra, carregar lá na cidade das flores...

Pode ficar sossegado que eu te aviso quando o caminhão estiver

carregado

É para o céu que você vai viajar!

No mesmo instante me disse, vá, está tudo pronto e você não pode

demorar!

Não precisa nem de ajudante, mas leve este gravador, eu sei que

vai precisar.

Quando eu cheguei no céu, muita gente a me esperar!

Foram gritando:

Olha o caminhão da Morada vamos com o motorista conversar:

Todos queriam contar sua mágoa, sua dor;

Foi aí que eu entendi, o porque do gravador:

Para gravar mensagens de paz e trazer a este povo sonhador!

Comecei formar uma fila para não tumultuar

Toninho Boiadeiro, Renato Cordeiro e o Gilberto Preto

Tiveram que me ajudar!

Uma jovem sorridente pediu: deixa eu falar primeiro!

Beto Belentano reconheci seu caminhão, eu vi o letreiro;

Meu pai trabalhou com o Senhor, sou filha do André Monteiro!

Nisso um Senhor com olhos rasos d'água pediu para sua historia

contar

Outro gritou lá do fundo, seja rápido que a fita do gravador

pode acabar!

Eu tinha um 113 de caçamba, trabalhava na região de Piracicaba,

Rio das Pedras e Mombuca, até que um dia eu fui assassinado

na rodovia do açúcar.

Um outro caminhoneiro me mostrou um sinal profundo nas mãos e

dos pés

Viajava sempre sozinho, vejam só como é que é

Até que um dia eu carreguei, em Tuneiras D' Oeste no Paraná, uma

carga de café

Com destino à São Paulo, cidade de Avaré

Roubo de carga, quadrilha não deixa pista, leva a carga

E na maioria das vezes a vida do motorista.

Chega agora um moço alto, de olho azul, pelo sotaque notei que

era do sul

Quero contar o meu passado:

Parei para trocar um pneu que havia furado, inocente não

percebi

Dois homens atrás de mim, fortemente armados,

Um falava no celular, o outro me mantinha deitado.

Nos olhos dos dois o ódio estava estampado

É verdade eu não minto, deu até pra ouvir o estampido da 765

Quando o gatilho foi acionado!

Um outro me pediu, grave aí minha historia:

Pelo sotaque forte, era um caboclo do norte

Trazia uma rede no ombro e uma toalha no pescoço

Pedi silencio, vamos ouvir este moço!

Meus amigos vejam como eu fazia:

O dia pra mim era noite e a noite pra mim era dia!

Carregava no Nordeste e chegava em São Paulo chinelando o câmera

fria.

Viagem de 48 no meu 16-18 eu fazia em 38!

Mas foi na Rio Bahia, na madrugada de um certo dia,

o fim da minha história seu moço!

Me chamaram de conterrâneo, abracei os dois e senti vontade de

chorar.

Chorando um deles disse:

Viajávamos contentes, era tudo maravilha,

De repente uma batida de frente, acabou tudo na Belém/Brasília.

A notícia chegou de imediato, o povo não quis acreditar...

A cidade de Borborema, no interior de São Paulo

ficou três dias parada, esperando a gente chegar,

O povo ficou emocionado ao ver o que tinha sobrado do Ninão e do

Dito Araçá!

Na seqüência chegou um moreno sorridente

E parando na minha frente disse grave aí um recado meu:

Peço calma aos motoristas, os acidentes ainda são constantes,

Eu também perdi a vida, na via dos Bandeirantes!

Nem lembro a velocidade que eu desenvolvia,

afinal era uma BMW, o carro que eu dirigia!

Diz pro meu amigo seguir em frente sua missão, pois toda vez que

ele canta aí;

Eu o acompanho daqui no refrão!

Até um estúdio tem aqui pra nós, eu vou gravar com o Pardinho;

Com o Tião Carreiro eu não combino a voz!

Evaldo Braga, Moraci, Duduca, Jessé, João Pacífico,

Cezar Rossini, Gonzagão e Gozaguinha, Xavantinho

Barrerito, Sandro, Leandro, Belmonte e Zilo

Eles também cantam com a gente,

fazemos uma mistura de voz, em duetos diferente!

Fora da fila, notei uma alegria de como quem brinca um menino,

Dei um abraço forte, era o tropeiro João Palestino!

Vem chegando um baixinho gesticulando.

É um moço que há muito tempo aqui no céu está cantando!

Neste momento eu disse: Eu te conheço?

Ele disse: Guri eu acho que não, pois quando eu vim pra cá

você ainda era um piazão!

Aproveito a oportunidade de pedir um favor atual,

para que você realize um desejo meu:

Sei que você é o caminho, peça pro Negrão tocar minha música

no Programa do Ratinho!

Aquele sujeito é batuta, anda com o povo na linha.

Agradeça a ele por nós e mande um abraço do gaúcho Teixeirinha!

Nisso recebi um bilhete de um senhor educado, que dizia assim:

Na sua próxima viagem traga uma foto de Itápolis para mim

Lá tem uma rua que tem o mesmo nome meu

Nela plantei algumas árvores, quero ver se já cresceu!

Dei um abraço em Zé Fortuna, o meu coração doeu.

A fita estava acabando,

quando alguém vestindo um terno branco e de microfone na mão

disse:

Cowboy da Estrada deixa eu te dar um abraço apertado

Reconheci, era Zé do Prato locutor apaixonado!

E ele disse:

Este microfone era do Marco Brasil, mas agora é meu;

Ele veio narrar um rodeio aqui no céu e de lembrança me deu!

Zé do Prato tinha na mão um tanto de oração e falou assim

comigo

Entregue essas orações a esses grandes amigos:

Jorge Moisés, Ivan Diniz, Piracicabano, Barra Mansa, Lalau dos

Santos,

Alan Coelho, Donizete Alves, Asa Branca, Capixaba, Sebastião

Ribeiro Chá!

Essa é para o Juliano Cesar, pra ele guardar no chapéu

Pois ele vive dizendo que eu sou o locutor aqui do céu.

Beto, esta é especial,

Entrega para o moço que contou um sonho e o mundo inteiro

ouviu,

Essa é para o Marco Brasil:

Marco Brasil, do rodeio que você fez aqui o povo ainda sente

saudade sua;

Os seus versos engraçados um anjo para de falar o outro

continua

Pediram até pra eu te imitar, não sei se vou saber

Não é o meu estilo, não tenho nada ensaiado, vamos ouvir o que

vai acontecer:

Alô, alô meu povão apaixonado,

Alô meu povo, tche, tche, tche!!!

E foi assim, com esta voz sumindo que acordei assustado;

na boleia do caminhão com o travesseiro molhado.

Mas logo o susto e a tristesa pela alegria foram trocados

Lembrei então daquelas mensagens e uma esperança surgiu

Tenho que contar pra todo mundo:

NA ESTRADA DA VIDA

Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém...
Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim...
E ter paciência para que a vida faça o resto...

AS MAIS COMPARTILHADAS NA REDE

AS MAIS LIDAS DA SEMANA